Este Espaço tem por objetivo compartilhar leituras, falar de encontros, educação, eco-feminismo, parto humanizado, cultura de paz, espiritualidade, dança... de movimentos que o Universo faz pelos quais nos encontramos.
Seja bem vindo, a entrada é franca e amiga... mas chegue com o coração aberto, senão, de nada vai adiantar estar aqui!

15 de dez de 2009

Alergias - psicossomáticas cutâneas

"A pele é o terreno mais propício para se manifestarem as erupções psíquicas."
Matéria do site português: A Arte de Viver
"São múltiplos e variados os tipos de alergia que atualmente povoam a Humanidade. Estas manifestações desagradáveis que incomodam milhares de seres humanos são incluídas nas somatizações psicogênicas por revolta, onde se inserem a enurese, a delinqüência, a agressividade, infantilismo, prisão de ventre e dores generalizadas em que o queixoso não encontra através de análises clínicas causas para as dores físicas que o atormentam.
As revoltas acumuladas vão somatizando estruturas psíquicas que se projetam sobre várias reações que causam sofrimento, entre elas as alergias.As alergias incluem-se nas doenças psicossomáticas. Certos tipos de alergia como as erupções cutâneas entre elas os eczemas, alergias respiratórias, como a asma, entre muitas outras, que não são mais do que manifestações de repulsão de medida, indomável, perante impressões psicológicas muito precisas, como as que nos são reveladas em relação a determinadas pessoas cujas características nos desagradam.Uma das alergias, atualmente, mais comuns mesmo a nível de jovens são as alergias cutâneas.
A pele é o terreno mais propício para se manifestarem as erupções psíquicas e é o local privilegiado de expressão emocional! Há variadíssimas manifestações alérgicas cutâneas: quando a pele de certas pessoas susceptíveis entra em contacto direto com determinadas substâncias, como o próprio Sol, com a água do mar e até algo de existencial no meio ambiente difícil de detectar. A pele à sua maneira formula o que nãoconseguimos exprimir em palavras. Não esquecer que ela é a mais extensa das nossas superfícies sensoriais - 18.000 cm2 em média no adulto. Outro ponto fundamental é que a pele tem a mesma origem embrionária que o sistema nervoso (nervos, medula, cérebro).
A epiderme também sabe mudar de cor, de textura, de pilosidade, conforme os diversos estados emocionais e a hipersensibilidade a cada um desses estados."
*********
Na fundação de Mustela, grande centro de investigação científica, estudam-se profundamente as psicossomáticas cutâneas. Foi concluído que as mães de crianças portadoras de eczema são na generalidade mães excitadas, apressadas, numa ansiedade destabilizadora na presença do filho, como se a criança atrapalhasse a sua vida, ou como se lhe fosse difícil assumir a presença dela.
Todos os gestos da vida quotidiana apresentam-se-lhes como tarefas penosas, que traduzem a angústia interna da mãe perante a ideia de entrar em comunicação com o filho.
Curiosamente esta atitude de rejeição materna está também na origem de uma outra afecção, que por vezes toma o lugar do eczema - a asma.
Se a reacção da pele é alérgica em consequência das causas psíquicas apontadas, também se conhecem substâncias que em contacto com a pele provocam a mesma doença cutânea. O eczema apresenta-se como uma inflamação da pele, com pruridos com exsudação. Alguns eczemas são mais conhecidos por dermites.
O Alérgico é sempre um ser extremamente carente de afecto e vítima de erros educacionais na infância, duma exigência rígida de responsabilidades acima das suas possibilidades. O Afecto é o nutriente mais salutar da Vida!
Por Gia Carneiro Chaves

10 de dez de 2009

Queridos (as),
Hoje recebi uma linda mensagem, de uma irmã de caminhada! Eu não a conheço pessoalmente, mas reconheço sua alma nobre pelo trabalho que realiza.
Tomo a liberdade de compartilhar abaixo suas palavras pois me fizeram muito bem... me re-lembraram de quem EU SOU.


“Dentro do coração, em uma pequena cavidade, repousa o Universo.”
(Mahanarayana Upanishad)

Abraço a todos,
Ana Paula

Quem sou eu, que não sou este corpo?

Quem sou eu, que não sou este corpo?
Sou o Ser (que é imaterial, imutável e imperecível).
Quem sou eu, que não sou esta mente que pensa?
Sou o Ser (que é serenidade e paz).
Quem sou eu, que não sou os cinco sentidos?
Sou o Ser (que é silêncio e comunhão).
Quem sou eu, que não sou as emoções?
Sou o Ser (que é ponderação e equilíbrio).
Quem sou eu, que não sou sensações?
Sou o Ser (que é satisfação).
Quem sou eu, que não sou desejo, necessidade, vontade?
Sou o Ser (que é plenitude).
Quem sou eu, que não sou passado, presente e nem futuro?
Sou o Ser (que é atemporal, eterno).
Quem sou eu, que não sou ego, personalidade?
Sou o Ser (que é tudo).
Quem sou eu, que não sou os papéis que represento?
Sou o Ser (que é a verdadeira natureza, a verdadeira identidade).
Quem sou eu, que não sou individualidade?
Sou o Ser (que é uno).
Quem sou eu, que não sou orgulho nem vaidade?
Sou o Ser (que é simplicidade).
Quem sou eu, que não sou insegurança nem medo?
Sou o Ser (que é luz).


É um processo semelhante ao de se chegar ao Sol por meio da Lua cheia. A Lua está lá, plena, cheia, brilhando. E, por trás dela, está o Sol, a iluminá-la. Quando estamos conectados a nossa luz interior, vemo-nos como luas cheias, como pessoas plenas e completas, iluminadas pela luz da consciência. Quando, porém, essa luz é ofuscada pela nossa ignorância existencial, vemo-nos minguado. Mas o Sol está sempre lá, brilhando, independente da maneira como vemos a Lua. Ninguém diz que o Sol perdeu a sua luz apenas porque a Lua está em sua fase nova. Da mesma maneira, independente da maneira como nos vemos, a consciência está sempre lá, brilhando. Nós, porém, de forma ignorante, achamos que não temos ou que não somos luz por vermo-nos momentaneamente de maneira incompleta ou ofuscada.

O Ser é a razão da existência. Ser é, em si mesmo, plenitude, independente de como estamos. A realização disso é a razão de estarmos aqui. Lembrar disso constantemente, eis a questão. Então, deixo, humildemente, dentro da minha compreensão e baseado em muito do que li de mestres que deixaram o seu legado, dicas práticas de como lembrarmos-nos desse conhecimento que causa uma reviravolta na maneira como estamos acostumados a vermo-nos. Um conhecimento que nos centra internamente para, na realidade, descentrar-nos. Ou seja, faz-nos reconhecer como consciência e luz, e, ao mesmo tempo e consequentemente, todos e tudo como essa mesma consciência, esse mesmo todo.

Seguem algumas indicações:

- Reservar momentos diários para a contemplação e para a meditação.
- Em meditação, pensar que a nossa inspiração, em realidade, é a expiração do Universo para dentro de nós, e que nos preenche. E que a nossa expiração, em realidade, é a inspiração do universo, que nos suga o ar e que nos esvazia.
- Manter contato com a natureza. Isso faz-nos lembrar que fazemos parte do todo.
- Ouvir músicas que nos toquem no sentido de reforçar nossa lembrança do conhecimento interior.
- Ler poesias que nos toquem dessa mesma forma.
- Fazer trabalho voluntário, em benefício dos outros.
- Olhar a Lua cheia nascer (algumas pessoas desconhecem que isso acontece uma vez a cada mês).
- Olhar o Sol se pôr (isso é mais fácil, pois a cada dia temos esse espetáculo).
- Olhar as pessoas nos olhos.
- Escolher um objeto pessoal que o remeta a consciência do todo. Mantenha-o próximo aos seus olhos e diariamente reverencie-o como símbolo dessa consciência.
- Obsevar o que e quem nos faz sentirmos plenos e completos e perceber que essa pessoa ou objeto é apenas um veículo que despertou em nós o que somos em essência.


Depois de escrever isso tudo, desejo que este conhecimento faça parte da minha vida tanto quanto da sua. Desejo que lembremos desse conhecimento constantemente. Que as palavras da Mahanarayana Upanishad ecoem em nossas mentes: “Dentro do coração, em uma pequena cavidade, repousa o Universo.”

E quando assim estivermos, vivendo esse conhecimento apreendido, que as sábias palavras do Atharva Veda façam-se verdadeiras em nossos corações: “A Terra é a minha mãe e eu sou o seu filho”. E, então, que a vejamos assim e a respeitemos assim. Que, como filhos da mesma mãe, vejamo-nos como irmãos. E, como irmãos, que nos ajudemos a crescer mutuamente – pois o crescimento do outro é o nosso próprio crescimento.

Om, que estejamos sempre unidos e bem nutridos.
Que estejamos sempre unidos e protegidos.
Que trabalhemos juntos.
Que progridamos juntos.
Que nosso conhecimento seja luminoso e realizador.
Que nunca haja inimizade entre nós.
Que haja paz, paz, paz...

Tenha um ótimo dia e muita Luz!!!
E um Natal com muito AMOR!!!
Bjs
Beth
Elizabeth Leal
Numerologia Pessoal e Empresarial, Astrologia, Reiki, Reflexologia, Aromaterapia, Massoterapia,Tarô, Bioenergia, Angeologia, Florais, Dança do Ventre, Yoga ( Com professores especializados ).

Bioequilíbrio Espaço Terapêutico

Rua Dr. Lauro 315, sala: 28 - Porto Alegre/RS
F.: 91750305 ou 92474843

7 de dez de 2009

Encontro na Lua Nova - dezembro/2009

Clique na imagem para ampliar
CÍRCULO SAGRADO DE VISÕES FEMININAS
16 de dezembro de 2009
Quarta-Feira
Hora: 20:00 às 22:00 (o portão fecha às 20:00, após as 22:00 partilha de alimentos)
ONDE? ESTEIO / RIO GRANDE DO SUL
Guardiã – Ana Paula
LOCAL: CICC PAZ
Rua São Jerônimo, 76 – centro – Esteio/RS
Contato: (51) 98210643
Contribuição: R$ 5,00 (+ fruta ou lanchinho VEG. para compartilhar)
Email: ciccpaz@gmail.com

Saiba mais:
1ª Lua Nova do Solstício de Verão - Novas guardiãs entrando na REDE... confiram...
http://www.circulosagradodevisoesfemininas.blogspot.com/

Movimento de espiritualidade feminina
Projeto do Clã dos Ciclos Sagrados"Mulheres em círculo para honrar seus ciclos; avançando fronteiras e tecendo redes." http://www.cladosciclossagrados.com/
Se algum artigo neste blog estiver como "autoria desconhecida" e você souber informar, agradeço e farei a devida correção. Solicito também que ao extrair qualquer informação desta página seja adicionada à devida autoria ou endereço: http://pedagogiadoencontro.blogspot.com

Grata pelo Encontro.